Movimentação do paciente acamado

Como existem situações em que o paciente tem de permanecer acamado durante um período de tempo prolongado, ao longo do qual tem dificuldades para se movimentar sozinho, vai necessitar da ajuda das pessoas que cuidam dele.

Generalidades

Topo Todos os pacientes acamados devem movimentar-se com uma certa regularidade, tanto para terem uma maior comodidade como para prevenirem o desenvolvimento de complicações consequentes da imobilidade prolongada. Se o seu estado o permitir, poderá fazê-lo sozinho, mas caso se encontre tão débil que não o consiga ou evidencie problemas específicos que o impeçam, vai necessitar da ajuda das pessoas que cuidam dele para questões tão básicas como aproximá-lo da cabeceira, caso se tenha deslocado até aos pés da cama, sentá-lo para que possa comer, colocá-lo de lado ou aproximá-lo da extremidade da cama, para que se levante ou para fazer a cama.

As pessoas que ajudam o paciente a efectuar as manobras, seguidamente descritas, devem ter em conta algumas precauções, de modo a evitarem esforços desnecessários ou excessivos e o risco de serem afectadas por dores nas costas. De facto, devem efectuar as manobras com as costas direitas, o tronco rígido e os pés separados, para que o centro de gravidade fique entre ambos. De forma a que o seu esforço muscular não seja tão intenso, devem utilizar as mãos como ganchos, os braços como alavancas e o corpo como contrapeso, repartindo o peso uniformemente e efectuando um agarrar sólido. Como é óbvio, é preci- so que, dentro do possível, obtenham a máxima cooperação do paciente, devendo-se-lhe explicar passo a passo as manobras que vão ser efectuadas e a colaboração que dele se espera.

Aproximar o paciente da cabeceira da cama

Topo Quando o paciente se encosta a almofadas, costuma deslizar gradualmente até aos pés da cama até ficar numa posição francamente incómoda, em que lhe é difícil ou impossível regressar à posição inicial sozinho, necessitando de ajuda para o conseguir. Caso o paciente esteja em condições de colaborar, a manobra pode ser realizada por uma única pessoa, em que esta se deve colocar num dos lados da cama, passar um braço por baixo das axilas e outro por baixo das coxas, pedindo ao paciente que dobre as pernas. Em seguida, deve-se levantar o paciente, de modo a deslocá-lo para a cabeceira da cama, pedindo-lhe que faça o máximo de esforço para que se impulsione nessa mesma direcção ao fazer força com os pés e as mãos sobre o colchão ou, caso a cama tenha barras de madeira, que se segure a elas e se impulsione ao flectir os braços.

Caso o paciente não consiga colaborar, a manobra deverá ser efectuada por duas pessoas. Cada uma delas deve-se colocar num dos lados da cama, flectir os joelhos, deslizar um braço pelas costas do paciente até colocá-lo debaixo do ombro mais distante e passar a outra por baixo da coxa mais próxima, entrelaçando-a com a do outro participante. Em seguida, deve-se levantar o paciente, ao sinal, o suficiente até que se consiga deslocá-lo até à posição desejada. Para se evitar que o paciente deslize na cama para baixo, pode-se improvisar um repouso com uma almofada ou uma manta enrolada que sirva de travão para os pés.

Sentar o paciente na cama

Topo A manobra para ajudar um paciente deitado a sentar-se na cama costuma ser efectuada sem grandes dificuldades por uma única pessoa. Esta deve posicionar-se num dos lados da cama, junto à extremidade, e colocar um braço por baixo dos ombros do paciente, de modo a segurar-lhe o pescoço e a cabeça. Depois, deve pedir ao paciente que passe um braço por baixo da sua axila e coloque a mão sobre a parte posterior do seu ombro ou que se agarre com ambas as mãos ao seu pescoço. Com o paciente nesta posição, o ajudante deve separar os seus pés cerca de 30 cm, flectir um pouco os joelhos e dar um pequeno passo para trás com a perna mais próxima da cama. Em seguida, e à medida que vai deslocando o peso do corpo do pé da frente para o de trás através de um movimento de balanço, o ajudante deve moldar gradualmente o tronco do paciente até que fique sentado. Para facilitar a manobra, deve-se pedir ao paciente que se impulsione com a mão livre, fazendo pressão sobre o colchão, e que, uma vez em posição, apoie ambas as mãos esticadas um pouco atrás do corpo para ganhar estabilidade. Por fim, e sem tirar o apoio às costas, o ajudante deve colocar, atrás do paciente e com a outra mão, as almofadas necessárias para que fique bem sentado. Uma outra possibilidade é improvisar uma cabeceira inclinada mais firme com uma cadeira invertida sobre a qual se deve colocar uma almofada.

Aproximar o paciente da extremidade da cama

Topo A manobra para aproximar o paciente da extremidade da cama é útil tanto para a muda da roupa de cama como para a realização de manobras, tais como ajudá-lo a colocar-se de lado ou a levantar-se da cama. Em primeiro lugar, a pessoa encarregue da realização da manobra deve aproximar-se da extremidade da cama no lado para o qual o paciente se pretende aproximar, pedindo a este que estique os braços junto ao corpo ou que os coloque sobre o seu peito. Em seguida, o ajudante pode agir de duas maneiras diferentes.

Uma das possibilidades consiste em colocar-se à altura do peito e, depois de colocar uma perna à frente da outra com os joelhos flectidos, deslizar um braço por baixo das costas do paciente até que a mão segure o ombro mais afastado e passar o outro braço por baixo das suas ancas, de modo a apoiar a mais distante na mão. Em seguida, o ajudante deve deslizar suavemente o paciente puxando-o para a extremidade da cama.

Uma outra possibilidade, útil quando o paciente é mais pesado, consiste em realizar a manobra em várias fases. Em primeiro lugar, o ajudante deve-se colocar à altura dos ombros do paciente, colocar as suas mãos debaixo da almofada, segurar-lhe os ombros e a cabeça e puxar esta parte do corpo para a extremidade da cama. Em seguida, deve agir de maneira semelhante à altura das ancas e pernas, de modo a que o paciente fique bem alinhado junto à extremidade da cama.

Colocar o paciente de lado

Topo Existem várias situações em que é necessário virar um paciente deitado de costas para que fique de lado na cama, uma manobra que, caso seja realizada com uma técnica precisa, pode ser efectuada com facilidade e segurança por uma única pessoa.

Em primeiro lugar, deve-se colocar o paciente na extremidade da cama do lado contrário para o qual se pretende virar, através da realização da manobra descrita anteriormente. Depois de se efectuar a manobra, o ajudante deve-se colocar no lado da cama para o qual o paciente se pretende voltar e pedir-lhe que realize uma série de movimentos, ajudando-o a fazê-los quando não o conseguir: por um lado, o paciente deve flectir o braço que está mais próximo da extremidade da cama (o braço contrário ao lado para o qual se vai movimentar) sobre o seu peito e manter o outro esticado junto ao corpo, para que não fique preso quando se virar, ou bem flectido com a mão junto à cabeça; por outro lado, deve flectir a perna próxima à extremidade da cama (a perna contrária ao lado para o qual se vai movimentar) e apoiar o pé sobre o colchão (1). Em seguida, o ajudante deve avançar um pé e flectir os joelhos, colocar uma mão por trás do ombro do paciente e a outra por trás de uma das ancas. Depois, deve passar o peso do corpo do pé da frente para o de trás, à medida que se vai movimentando o paciente, de modo a que este se vá virando até que fique de costas numa posição estável (2).

Por fim, deve-se alinhar o corpo do paciente ao rectificar-se a localização das ancas e pernas consoante seja mais conveniente para garantir uma posição cómoda e estável.

Ajudar o paciente a levantar-se da cama

Topo Esta manobra deve ser realizada quando um paciente debilitado ou com algum impedimento não se consiga levantar sozinho e pretenda sair da cama durante um bocado, mesmo que seja para descansar numa cadeira perto da cama. Na verdade, trata-se de uma série de manobras consecutivas que ajudam o paciente a, em primeiro lugar, sentar-se na extremidade da cama e, depois, passar para a cadeira mais próxima.

A primeira parte da manobra consiste em aproximar o paciente de uma extremidade da cama, da forma anteriormente explicada, e ajudá-lo a sentar-se com os pés fora da cama. A pessoa que ajudar o paciente, situada junto ao lado da cama escolhido, deve passar um braço por trás da nuca do paciente, de modo a agarrar o ombro mais afastado com a mão e deslizar o outro braço por baixo dosjoelhos, ligeiramente flectidos, enquanto que o próprio paciente, caso consiga colaborar, deve-se agarrar com ambas as mãos ao seu pescoço (1). A partir do momento em que o agarrar é firme, o ajudante deve-se virar para que o paciente rode, igualmente, sobre si mesmo e fique atravessado na extremidade da cama, tendo como base as nádegas, com as pernas fora da mesma, e depois fazer força com o braço sobre as costas, de modo a que o paciente endireite o tronco e consiga ficar sentado (2). Dado que antes de se prosseguir a manobra, o paciente deve manter-se um bocado sentado, para não ficar enjoado, pode-se aproveitar o momento para ajudá-lo a vestir um roupão e calçar uns chinelos.

A segunda parte da manobra consiste em pôr o paciente de pé junto à cama. Existem várias opções, consoante a sua capacidade de colaboração e o seu peso e volume, para ajudar o paciente a ficar de pé. Uma das possibilidades consiste em o ajudante colocar-se frente ao paciente, com as pernas flectidas, e passar as duas mãos por baixo das axilas, de modo a segurá-lo pelos ombros, ao mesmo tempo que o paciente se deve agarrar com ambas as mãos ao seu pescoço (3). Em seguida, o ajudante deve adiantar um pé e levantar-se, erguendo o paciente e deslocando o peso do corpo para o pé de trás, de modo a que o paciente apoie os pés no chão e se vá gradualmente endireitando. Uma outra possibilidade, extremamente útil, sobretudo se o paciente for pesado, consiste em realizar a manobra com a ajuda de uma toalha à volta da cintura e em agarrar com firmeza os membros, agindo da mesma forma descrita anteriormente, mas tendo a precaução de bloquear com os próprios pés os do paciente quando estes se apoiarem no chão, de modo a evitar a queda do paciente quando o mesmo se endireitar.

A terceira parte da manobra consiste em ajudar o paciente a deslocar-se para uma cadeira colocada previamente perto da cama. Para tal, deve-se procurar manter o paciente numa posição em que consiga ficar de pé, agarrando-o pelos ombros com as mãos ou segurando-o com uma toalha à volta da cintura e com as mãos do paciente agarradas ao pescoço do assistente. Em seguida, após se aguardar alguns momentos para que o paciente adquira estabilidade, deve-se efectuar um movimento que lhe permita ficar de costas para a cadeira e perfeitamente alinhado, de modo a sentar-se (4) ou de modo a deslocá-lo para a mesma com passos curtos. Por fim, deve-se ajudar o paciente a sentar-se com um movimento inverso ao realizado para ajudá-lo a levantar-se, inclinando-se para a frente ao mesmo tempo que se flecte os joelhos (5). Em seguida, os dois corpos devem separar-se e baixar-se simetricamente até que o paciente fique sentado na cadeira, devendo-se instalar comodamente o paciente da melhor forma, dando-lhe umas almofadas, caso seja conveniente.
Este artigo foi útil?
Artigos relacionados
Procurar Médicos
Precisa de ajuda?
Porque perguntamos?
Dor lombar e ciática Aparelho locomotor/exercício físico
Dor cervical Aparelho locomotor/exercício físico
Artrose Aparelho locomotor/exercício físico
Nódulos e pólipos das cordas vocais Aparelho respiratório/glândulas endócrinas
Lesões dos meniscos Aparelho locomotor/exercício físico
Tumores benignos do ovário Aparelho reprodutor/sexualidade