O Quarto do bebé

Embora o bebé fique, ao longo de uma primeira fase, no quarto dos pais, ao fim de um determinado período de tempo deve ter o seu próprio quarto, que deve ter tudo o que for necessário.

Características gerais

Topo Embora o bebé não tenha de ter um quarto só para si, pois pode-se-lhe atribuir um espaço num outro quarto já ocupado, é importante que tenha o seu próprio território. Apesar de o espaço não ter de ser muito grande, visto que, para além de serem necessários muito poucos móveis, o bebé passa a maioria do tempo no berço, deve-se prever necessidades futuras, nomeadamente ter em conta que o berço acabará por, ao fim de um determinado período de tempo, ser substituído por uma cama, que o bebé terá cada vez mais brinquedos e de que irá precisar de espaço suficiente para se movimentar e para brincar no seu próprio espaço. Mesmo que o quarto do bebé seja pequeno, deve-se ter em atenção algumas características que propiciem a sua comodidade e segurança.

Dentro das possibilidades, quando se tiver de seleccionar o quarto destinado ao bebé, deve-se optar por um que esteja bem iluminado naturalmente, que seja claro, soalheiro e bem arejado, o que justifica o facto de um dos seus requisitos básicos ser a existência de uma janela que dê directamente para o exterior. É igualmente preferível que o revestimento das paredes seja claro e com cores pouco fortes, independentemente de se tratar de uma pintura ou papel de parede, embora se possam pintar as guarnições da porta e da janela com cores vivas, desde que sejam facilmente laváveis, já que a sua limpeza deve ser frequente. A limpeza do material do chão deve ser igualmente fácil, que entre outras condições não deve ser escorregadio, nem demasiado duro ou frio, sendo preferível optar por materiais como o linóleo ou o parquet envernizado em vez de se colocar uma carpete, que deve ser de material iginífugo. Embora as cores das cortinas da janela também possam ser alegres, devem ser opacas.

Existem algumas questões a ter em conta para se assegurar as condições ideais que facilitem o sono do bebé, sobretudo em relação à temperatura e à iluminação. Em relação ao primeiro ponto, embora possa servir qualquer sistema que mantenha o quarto quente no Inverno, o mais eficaz e seguro é o aquecimento central. Em relação à iluminação, deve-se instalar um interruptor de inten-sidade gradual ou uma luz fraca para que se possa acompanhar o sono do bebé sem incomodá-lo.

Por fim, em relação ao mobiliário, são necessárias muito poucas coisas: uma cómoda para guardar a roupa do bebé e do berço, uma mesa ou um móvel qualquer com a altura adequada para mudar o bebé, caso não se tenha um muda-fraldas, estantes onde se possam colocar produtos que se queira manter fora do alcance do bebé quando este começar a andar, algum complemento para guardar os seus brinquedos e, o mais importante, o berço.

O berço

Topo O elemento mais importante para o bebé é aquele onde dorme, a actividade a que dedica a maior parte do seu tempo. Ao longo dos primeiros meses, apenas é necessário ter uma alcofa, na qual poderá dormir tanto de dia como de noite, no quarto dos pais e fora de casa. Actualmente, existem inúmeras alcofas modernas à venda, às quais se pode adicionar um carrinho, de modo a que possa até servir de meio de transporte pela rua. Todavia, como mais tarde ou mais cedo será necessário um berço, onde o bebé irá necessitar de dormir durante bastante tempo, a sua selecção deve ser criteriosa, tendo em conta questões de gosto pessoal, mas principalmente alguns factores que garantam a comodidade do bebé e a sua segurança.

Como requisitos básicos, o berço deve ser sólido, suficientemente estável para que o bebé se possa, ao fim de um determinado período de tempo, colocar de pé sem o risco de o berço se virar e suficientemente grande para que possa utilizá-lo até aos 3 anos. O ideal é ser de barras, já que assim o bebé não terá dificuldades em ver o mundo que o rodeia, e que cumpra alguns simples requisitos fundamentais: a altura das laterais tem de ser, no mínimo, de 60 cm e as barras devem ser verticais, com uma separação nunca inferior aos 2,5 cm, para que não fique com um braço ou perna presa, nem superior a 10 cm, para que não consiga atravessar a cabeça. Tendo em conta que o bebé tem a tendência para levar a boca a tudo o que se encontra ao seu alcance, deve-se assegurar que o material, pintura ou verniz do berço não são tóxicos.

Em relação ao colchão, não deve ser demasiado mole e tem que ter um tamanho ajustado às dimensões do berço, para que não fiquem à sua volta sobras onde a cabeça do bebé possa ficar presa.

A roupa do berço

Topo Como existem alguns elementos básicos, não muitos, mas importantes, para o berço, estes devem ser bem seleccionados, sobretudo tendo em conta a higiene e comodidade do bebé, mas também a sua segurança. Em relação a este último ponto, o complemento prioritário é uma almofada, colocada perante as barras do berço, de modo a evitar que o bebé se magoe contra as barras; uma outra precaução importante é cortar as fitas fixadas nas barras, de modo a que tenham no máximo 16 a 18 cm, para que não exista o mínimo risco de estrangulamento, caso eventualmente se desatem. Em relação à comodidade e segurança, deve-se proteger o colchão com uma capa forrada de algodão impermeável ou com um protector de plástico, de preferência revestido por tecido turco, para que, após as fugas de urina, o colchão não fique molhado e o bebé se mantenha seco.

Os lençóis devem ser de fibra natural, suaves e ao mesmo tempo resistentes, pois terão que ser lavados com frequência. Os lençóis de baixo devem ser ajustáveis, mais fáceis de colocar e muito cómodos para o bebé, já que assim poderá movimentar-se à vontade sem formar pregas.

Por último, para tapar o bebé apenas é necessário uma colcha ligeira, de material não alérgico e fácil de lavar. É igualmente prático ter uma colcha que se transforme num saco de dormir, ideal para manter o bebé abrigado, sem se destapar muito, mesmo que se mexa muito.

Informações adicionais

Para dormir melhor

Topo

Existem algumas condições ideais  para facilitar o sono do bebé que devem ser tidas em conta. Em primeiro lugar, a temperatura do quarto deve situar-se entre os 18°C e os 22°C, algo que se pode comprovar facilmente através da colocação de um termómetro na parede. No Inverno, é preferível assegurar-se a temperatura ideal através do recurso a aquecedores, para que apenas se tenha de tapar o bebé com uma manta normal, enquanto que, ao longo do Verão, se deve manter o bebé com pouca roupa, já que o seu sono é perturbado se tiver frio ou calor. É igualmente importante vigiar o grau de humidade ambiental no quarto, que deve ser de 50 a 60%, o que se pode comprovar com um higrómetro - caso seja inferior, o melhor é recorrer-se à utilização de um humificador. Por fim, deve-se recordar que, ao longo da noite, o quarto deve estar pouco iluminado e o mais silencioso possível.

O médico responde

Topo

O meu bebé tem I mês de vida e, embora já tenhamos o seu quarto preparado, ainda dorme no nosso. Qual é o momento ideal para começar a dormir no seu próprio quarto?

É normal que os pais mantenham o bebé no quarto do casal durante os primeiros meses de vida, já que assim podem ouvir imediatamente o seu choro enquanto dormem e porque assim evitam constantes deslocações para cuidarem dele. Embora exista quem opte por mudar o bebé para o seu próprio quarto ao fim de algumas semanas, outros levam mais algum tempo a fazê-lo. Todavia, não se deve prolongar muito a situação, já que os pais necessitam de um espaço íntimo, sem se sentirem inibidos com a presença do bebé, e também porque quanto mais tempo passar, mais difícil será para o bebé aceitar a mudança. Embora não existam normas rigorosas sobre esse assunto, considera-se que o bebé deve permanecer no quarto do casal até aos 3 meses de vida.

Para saber mais consulte o seu Pediatra
Este artigo foi útil?
Artigos relacionados
Procurar Médicos
Precisa de ajuda?
Porque perguntamos?
PEDIATRASVer todos
Dor lombar e ciática Aparelho locomotor/exercício físico
Dor cervical Aparelho locomotor/exercício físico
Artrose Aparelho locomotor/exercício físico
Nódulos e pólipos das cordas vocais Aparelho respiratório/glândulas endócrinas
Lesões dos meniscos Aparelho locomotor/exercício físico
Tumores benignos do ovário Aparelho reprodutor/sexualidade