Higiene: banho do bebé

A higiene é um dos principais cuidados a ter com o bebé, já que, para além de ser uma excelente oportunidade para se fortalecer a comunicação entre os pais e o bebé, constitui um dos factores básicos para a sua saúde.

O banho, rotina diária

Topo Embora a higiene ao longo dos primeiros dias se restrinja a uma rigorosa limpeza do bebé, a partir do momento em que o resto do cordão umbilical cai e o umbigo cicatriza, o banho diário passa a constituir a forma ideal para manter a pele do bebé limpa, através da eliminação da sujidade que se acumula ao longo do dia sobre a superfície da sua pele. Para além de constituir um momento de lazer e comunicação com os pais e da sua finalidade higiénica, o banho serve igualmente para que o bebé recupere todos os dias, durante um bocado, a agradável sensação que tinha quando estava imerso no líquido amniótico, sendo extremamente importante no plano psicológico e emocional, pois representa a oportunidade ideal para fortalecer os laços afectivos com os pais, que o acariciam e, ao mesmo tempo, fazem-no sentir seguro num momento tão agradável e divertido. Em suma, o banho deve representar um momento de diversão para o bebé.

Apenas se consegue concretizar todos estes objectivos, quando se planeia bem o banho, se prepara com antecedência tudo o que seja necessário e se prolonga o banho o tempo necessário, porque não se deve considerá-lo apenas como uma questão meramente higiénica, devendo-se-lhe dar a devida importância em todas as suas dimensões.

Por isso, considera-se que a hora mais ideal para o banho diário é aquela em que os pais possam dedicar toda a tranquilidade a essa ocupação, sem pressas. Há quem opte por realizar o banho do bebé de manhã, considerando que constitui um estímulo para enfrentar o dia, enquanto outros preferem fazê-lo à noite, antes da última refeição, pensando que pode ser mais relaxante e servir como preparação para o sono. Embora a hora seja indiferente, deve-se dar o banho todos os dias à mesma hora, já que os bebés gostam da rotina, sem que exista uma obsessão com o horário. Apenas existe uma condição básica para a hora do banho, pois convém que se realize antes da refeição e não depois, em plena digestão.

Os acessórios básicos

Topo Embora se possa utilizar a banheira grande da casa de banho, e até o lava-louça da cozinha ou um alguidar para lavar a roupa numa situação de emergência, por exemplo durante uma saída de fim de semana, o ideal é dar o banho numa banheira específica para essa função. Existem vários tipos de banheiras para bebés, todas elas válidas: existem as de plástico rígido, que podem ser colocadas sobre qualquer superfície firme a uma altura adequada para que os pais não se tenham de inclinar demasiado, ou directamente sobre o chão e até dentro da banheira da casa de banho; existem outras dobráveis e muito práticas, devido ao facto de, por um lado, ocuparem pouco espaço e, por outro, porque a sua altura é a ideal, além de poderem igualmente ser constituídas por uma tampa que as converte em muda-fraldas e por bolsas onde se pode ter vários complementos à mão.

Dado que as toalhas constituem uma parte essencial do equipamento para o banho do bebé, deve-se ter algumas exclusivas para este fim, as quais devem ser lavadas e guardadas à parte. Antes de se dar o banho, deve-se preparar uma toalha grande, para que se possa envolver totalmente o bebé, e outra mais pequena, destinada a secar a sua cabeça e as partes mais delicadas do seu corpo, ambas suaves e absorventes. Uma boa forma de manter o bebé distraído quando este já está nu e enquanto se trata dos preparativos, consiste em cantar para o bebé, enquanto que a utilização de uma toalha com capuz ou um robe é extremamente útil para o proteger do frio após a primeira secagem, antes de o vestir.

Em relação aos produtos de higiene, deve-se utilizar champô ou gel de banho especiais para bebés, de pH neutro, suaves e pouco perfumados. Embora se costume recorrer à utilização de colónias, deve-se destacar que estas não são imprescindíveis e que, quanto menos produtos químicos forem aplicados sobre a pele do bebé, melhor: caso sejam utilizados, devem ser suaves e hipoalergénicas, específicas para bebés.

Como complementos básicos, convém contar com algum recipiente, independentemente de ser para lavar a cara ou para passar o champô por água, e uma luva ou uma esponja suave para ensaboar o bebé, uma escova pequena de filamentos firmes, mas moles, ou um pente para pentear o bebé depois do banho e uma tesoura de pontas redondas para cortar as unhas.

Preparativos

Topo Embora não exista qualquer "técnica" especial para dar banho ao bebé, nas primeiras vezes, deve-se prestar atenção a determinados pontos básicos e planear bem o que se vai fazer. Antes de se iniciar o banho, deve-se ter em conta duas questões essenciais: por um lado, a comodidade do bebé e, por outro, a sua segurança. Tendo em conta estas duas premissas, deve-se ter tudo preparado para não se deixar o bebé sozinho um único segundo - por isso, antes de se iniciar o banho, convém rever os acessórios e comprovar, quando o bebé já estiver nu, que se tem à mão todos os elementos que devem ser utilizados.

Dado que o bebé, sobretudo quando é muito pequeno, é muito sensível às alterações de temperatura, deve-se tomar uma série de precauções para que não passe frio. A mais importante é o quarto onde se dá o banho estar quente, entre 22°C a 25°C, não ter correntes de ar e, também, manter o bebé abrigado tanto antes de se iniciar o banho como, sobretudo, imediatamente após, devendo-se ter à mão um robe ou uma toalha grande para o envolver.

A primeira coisa a fazer corresponde ao enchimento da banheira, devendo-se primeiro deitar a água fria e, depois, acrescentar gradualmente água quente até que se alcance uma temperatura entre os 34°C e os 37°C, já que caso seja inferior o bebé arrefece rapidamente e, caso seja superior, o bebé pode queimar-se. Embora existam termómetros de banho ideais para se ter a certeza de que a temperatura da água é óptima, também se pode comprovar a mesma por meios mais básicos: por exemplo, introduzindo-se o cotovelo ou mesmo a parte interna do braço, onde a pele é mais sensível, mas nunca as mãos, acostumadas a suportar temperaturas mais elevadas e, consequentemente, não muito fiáveis. Caso se utilize um gel líquido, este deve ser colocado ao mesmo tempo em que se enche a banheira, para que esteja tudo preparado quando se iniciar o banho do bebé.

O Banho

Topo Depois de se encher a banheira de água à temperatura ideal e de se ter todos os acessórios à mão, deve-se iniciar o banho. Todavia, antes de se começar o banho e à semelhança do que ocorre quando se mudam as fraldas, deve-se limpar a região genital e as nádegas, para que a água da banheira não fique suja (1). Deve-se igualmente lavar a cara previamente, como já foi anteriormente referido (2), porque caso se realize esta tarefa ao longo do banho o bebé pode não gostar de ver o rosto salpicado. Caso se realize estas acções depois de se ter enchido a banheira, deve-se comprovar novamente a temperatura da água e acrescentar-lhe água quente, se for necessário. Só depois de tudo estar preparado é que se pode colocar o bebé na banheira.

Dada a importância do momento de introdução do bebé na banheira, este deve ser colocado com suavidade e, ao mesmo tempo, com firmeza, para que se sinta cómodo e seguro. A melhor maneira de segurar o bebé é passar-lhe um braço sob as costas, de modo a que a mão fique por baixo da axila do lado oposto e o bebé apoie a cabeça no antebraço, enquanto que a outra mão deve segurá-lo à altura das coxas (3). Ao colocarem-se num dos lados da banheira, os pais apenas se têm de inclinar para que o bebé fique em contacto com a água numa posição cómoda e sem que a cabeça fique submersa - por isso, nunca se deve largá-lo. A mão que segura a cabeça deve ocupar-se desta função, enquanto que a outra, após o bebé já se encontrar comodamente no interior da água, o irá ensaboar e enxaguar (4).

Deve-se ensaboar o bebé com uma luva ou esponja suave de cima para baixo, começando pelo pescoço, já que a cara deve ser lavada com água fervida, e prosseguir pelo peito, abdómen, braços, nádegas e pernas. Embora existam bebés que gostam bastante das fricções, normalmente não é preciso esfregar muito, apesar de se ter de eliminar bem a sujidade acumulada nas pregas.

Em seguida, deve-se virar o bebé, de modo a sentá-lo na banheira, para lhe lavar a cabeça e as costas. Para mantê-lo nessa posição, sem que exista qualquer risco de o bebé escorregar subitamente e submergir totalmente na água, o melhor é colocar-lhe um braço cruzado sobre o peito, de modo a que a mão segure a axila do outro lado, tendo o antebraço como ponto de apoio quando o bebé se inclina para a frente (5). Ao lavar-lhe a cabeça e, sobretudo, ao enxugá-la, deve-se evitar que lhe caia água no rosto, já que o bebé não costuma gostar, sendo preferível fazê-lo com a ajuda de um recipiente.

Embora o bebé goste muito de estar imerso na água, o banho não se deve prolongar por muito tempo, pois a água começa a arrefecer. O banho deve durar cerca de cinco minutos, após os quais se deve retirar o bebé da água, mas sem realizar qualquer movimento brusco. Depois de se levantar o bebé, deve-se envolvê-lo de imediato numa toalha grande para que não fique com frio e secá-lo suavemente (6). Em seguida, deve-se colocá-lo no muda-fraldas, deixar que recupere um bocado antes de se lhe colocar as fraldas e vesti-lo.

Informações adicionais

O médico responde

Topo

O meu filho tem 4 meses e, embora ainda utilize uma banheira pequena para o lavar, pergunto-me se não será já altura de utilizar a banheira grande...

Os médicos não têm um critério unânime em relação ao momento mais oportuno para se passar da típica banheira para bebés para a banheira grande da casa, algo que se deve efectuar mais cedo ou mais tarde. Há quem aconselhe que a troca deve ser realizada entre os 3 e os 4 meses, outros sugerem que é preferível esperar que o bebé tenha 6 meses, altura em que já se consegue manter sentado sem dificuldades, enquanto alguns consideram que se deve realizar a passagem com calma, sem definir uma data fixa, devendo-se esperar pela adaptação do bebé ao banho em cada caso especifico. No entanto, acaba sempre por chegar o momento em que o bebé está tão crescido que a banheira infantil se torna pequena e a única solução é começar a utilizar uma banheira grande, embora não seja necessário esperar tanto tempo. De facto, apenas se deve proceder à troca de banheiras quando o bebé se sentir cómodo durante o banho e desfrute do momento, altura em que a passagem para a banheira grande lhe proporciona uma grande emoção em vez de insegurança e receio. Por outro lado, deve-se ter em conta que, como uma banheira não está especialmente adaptada para o bebé, necessita de maiores medidas de segurança, devendo-se colocar um tapete adesivo anti-deslizante no findo da banheira. Mesmo que o bebé pareça seguro, sentado e a chapinhar, deve-se observá-lo sempre e manter uma mão preparada para segurá-lo caso escorregue.

A higiene da cara

Topo

Embora se possa lavar a cara do bebé durante o banho, caso o bebé ainda seja muito pequeno, no mínimo até aos 6 meses, deve-se fazê-lo à parte, por vários motivos: por um lado, porque costuma ficar incomodado quando lhe salpicam o rosto enquanto lhe dão banho; por outro lado, porque convém não utilizar sabonete, sendo preferível utilizar água esterilizada, previamente fervida e arrefecida, ou soro fisiológico. Deve-se passar pedaços de gaze ou de algodão humedecido em água esterilizada, uma para cada passagem, pelas diferentes zonas do rosto, nomeadamente pelo contorno da boca e do queixo, de modo a eliminar os restos de leite (1), por cada olho, por cima das pálpebras, desde o ângulo interno até ao exterior, de modo a arrastar as secreções (2), por cada orelha, de modo a repassar todo o pavilhão auricular e sem se esquecer da parte de trás (3), mas sem entrar no canal auditivo e sem se tirar a cera. Para secá-lo, o melhor é utilizar uma gaze.

As unhas

Topo

A menos que o bebé nasça com as unhas muito compridas, não costuma ser necessário cortá-las durante, no mínimo, o primeiro mês, já que os seus dedos são muito delicados e convém já estar habituado a segurar o bebé antes de se atrever a cortar-lhe as unhas. Para além disso, de início, as unhas do bebé costumam ser muito frágeis e partem-se sozinhas. A partir do momento em que as unhas começam a crescer e a ficar duras, existindo o risco de o bebé se arranhar, deve-se começar a cortar as unhas com alguma regularidade, por exemplo 1 vez por semana, devendo-se utilizar uma tesoura especial, de pontas redondas e lâminas curtas, e cortar ao longo da extremidade do dedo, respeitando a sua curva, mas sem cortar demasiado. A tarefa necessita de muita calma e, como costuma ser muito difícil caso o bebé esteja inquieto, o melhor é aproveitar um momento em que se encontre tranquilo e pouco activo, por exemplo após as refeições.

Para saber mais consulte o seu Pediatra
Este artigo foi útil?
Artigos relacionados
Procurar Médicos
Precisa de ajuda?
Porque perguntamos?
PEDIATRASVer todos
Dor lombar e ciática Aparelho locomotor/exercício físico
Dor cervical Aparelho locomotor/exercício físico
Artrose Aparelho locomotor/exercício físico
Nódulos e pólipos das cordas vocais Aparelho respiratório/glândulas endócrinas
Lesões dos meniscos Aparelho locomotor/exercício físico
Tumores benignos do ovário Aparelho reprodutor/sexualidade