Corpos estranhos no ouvido

Qualquer objecto que se introduz no canal auditivo externo pode constituir um corpo estranho e causar lesões no ouvido.

Causas e consequências

Topo

Qualquer tipo de objecto de dimensões suficientemente pequenas pode introduzir-se no canal auditivo externo acidentalmente ou de forma intencional, como acontece no caso das crianças durante as suas brincadeiras. Pode-se tratar de objectos de natureza muito variada e é da sua natureza que dependem as possíveis consequências. Por exemplo, caso se trate de um elemento duro, como uma pedra ou uma peça de plástico, e principalmente se tiver cantos ou arestas, a sua introdução pode causar feridas no canal auditivo externo; se for comprido e for introduzido com alguma profundidade, pode até provocar a ruptura do tímpano. Pelo contrário, se se tratar de um objecto mais mole e arredondado raramente se produzem lesões deste tipo, mas podem surgir outras complicações: um vegetal, como uma ervilha, um bocado de algodão ou um objecto de borracha podem absorver água e, uma vez dentro do canal auditivo externo, inchar e tapá-lo, prejudicando a audição, além de facilitarem o desenvolvimento de infecções.

As possibilidades são, portanto, muito variadas, assim como os sinais e sintomas indicadores do problema: dor, zumbidos, surdez ou sinais de infecção.

Actuação

Topo

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, quando se introduz um corpo estranho no ouvido, a actuação oportuna é esperar que este saia de forma espontânea. Quando se verifica que o corpo estranho no ouvido não sai espontaneamente, não devem ser feitas quaisquer tentativas para o retirar, nem com a introdução de pinças, nem colocando água deve-se procurar ajuda médica imediata.

De facto, quando se tenta extrair o corpo estranho, o mais habitual é que se produzam lesões no canal auditivo externo ou até mesmo no tímpano, sendo estas uma consequência de uma actuação inadequada e não devido à existência de um corpo estranho: ao retirar-se o objecto às cegas com uma pinça, o que se consegue, paradoxalmente, é introduzi-lo ainda mais, provocando ocasionalmente sérias lesões.

O melhor é abster-se de qualquer tentativa com o objectivo de extrair o corpo estranho e recorrer imediatamente a um médico, como já foi referido. O especialista não terá dificuldades em proceder à extracção, através de uma lavagem com uma seringa especial ou com a ajuda de uma pinça adaptada a este tipo de situações, que em mãos experientes permite agarrar o corpo estranho e retirá-lo.

Informações adicionais

Insectos no ouvido

Topo

A penetração de um insecto no ouvido costuma provocar uma grande inquietação: umas vezes, provoca fortes dores; outras vezes, causa ruídos ou zumbidos, particularmente intensos, sendo estes incómodos, que geralmente surgem de forma súbita, acompanhados de uma grande angústia e, sobretudo nas crianças, provocam mesmo uma sensação de pânico. Assim, a primeira coisa a fazer é acalmar a vítima e tentar tranquilizá-la, de forma a poder verificar o que aconteceu e também como eventual medida terapêutica - por vezes, se a vítima se mantiver quieta, o insecto poderá simplesmente sair por si. O que não se deve fazer, pelo contrário, é tentar retirá-lo recorrendo a um palito ou a uma pinça, pois qualquer instrumento pontiagudo pode provocar sérias lesões, principalmente se, no decorrer da operação, a vítima mexer a cabeça bruscamente.

Caso se suspeite da existência de um corpo estranho no ouvido não devem ser feitas tentativas para removê-lo. Também não devem ser aplicados medicamentos ou quaisquer outras substâncias não prescritas pelo médico, sob pena de provocar graves lesões.

Para saber mais consulte o seu Otorrinolaringologista
Este artigo foi útil?
Artigos relacionados
Procurar Médicos
Precisa de ajuda?
Porque perguntamos?
OTORRINOLARINGOLOGISTASVer todos
Dor lombar e ciática Aparelho locomotor/exercício físico
Dor cervical Aparelho locomotor/exercício físico
Artrose Aparelho locomotor/exercício físico
Nódulos e pólipos das cordas vocais Aparelho respiratório/glândulas endócrinas
Lesões dos meniscos Aparelho locomotor/exercício físico
Tumores benignos do ovário Aparelho reprodutor/sexualidade