Gamagrafia óssea

A gamagrafia, um exame baseado na utilização de elementos radioactivos, é extremamente útil para o estudo do esqueleto. Este exame consiste na injecção, via circulação sanguínea, de um isótopo radioactivo, inócuo para o organismo...

A gamagrafia, um exame baseado na utilização de elementos radioactivos, é extremamente útil para o estudo do esqueleto. Este exame consiste na injecção, via circulação sanguínea, de um isótopo radioactivo, inócuo para o organismo, que possui uma afinidade especial pelo osso, como por exemplo o tecnécio-99m unido a um composto constituído por fósforo, um mineral captado preferencialmente pelo osso. Após a sua administração, o radioisótopo vai-se distribuindo pelo corpo, chegando ao osso altamente vascularizado. Dado que as radiações gama emitidas pelo isótopo podem ser registadas através de um aparelho especial, estes dados são utilizados por um computador para elaborar imagens do sector do esqueleto estudado. Desta forma, é possível comprovar se os ossos se encontram em perfeitas condições ou constatar, por exemplo, se em alguns existe um aumento da actividade metabólica provocado por uma infecção, um problema que pode ser detectado, desta forma, antes da manifestação de lesões visíveis num exame radiológico convencional. De facto, como as aplicações desta técnica são muito distintas, não é de estranhar que a sua utilização seja cada vez mais comum.

Procedimento

Topo

Para se efectuar o exame, em primeiro lugar, tem que se administrar o radioisótopo seleccionado através de uma injecção intravenosa. A substância radioactiva normalmente leva entre duas e três horas a distribuir-se pelo organismo e a fixar-se nos ossos. Então, o paciente deve deitar-se numa marquesa para que o aparelho detector, uma espécie de contador Geiger denominado "gamacâmara", que se desloca a uma determinada distância do corpo, depois de registar as radiações gama emitidas pelo isótopo, produza raios X ou, então, graças à informação processada pelo computador, seja possível visualizar num ecrã as imagens dos ossos estudados. O procedimento não leva mais de meia hora e não provoca qualquer incómodo ao paciente.
Para saber mais consulte o seu Radiologista
Este artigo foi útil?
Artigos relacionados
Procurar Médicos
Precisa de ajuda?
Porque perguntamos?
RADIOLOGISTASVer todos
Dor lombar e ciática Aparelho locomotor/exercício físico
Dor cervical Aparelho locomotor/exercício físico
Artrose Aparelho locomotor/exercício físico
Nódulos e pólipos das cordas vocais Aparelho respiratório/glândulas endócrinas
Lesões dos meniscos Aparelho locomotor/exercício físico
Tumores benignos do ovário Aparelho reprodutor/sexualidade