Pólipos nasais

São tumores brancos e proeminentes que se formam na mucosa que reveste as fossas nasais.

Generalidades

Topo

Causas. O seu desenvolvimento costuma ser provocado por uma inflamação crónica da mucosa nasal, pois devido a irritação persistente a mucosa começa a crescer de maneira localizada em um ou vários pontos, com a consequente formação de uma ou mais massas tumorais proeminentes que pendem das paredes das fossas nasais. Na maioria dos casos, os pólipos produzem-se como complicação de uma rinite alérgica de longa evolução; no entanto, é muito mais comum em pessoas que utilizam de forma abusiva medicamentos vasoconstritores para aliviar uma qualquer congestão nasal. De início, os pólipos são muito pequenos, do tamanho de um grão de arroz, mas se o factor persistir acabam por aumentar de tamanho.

Manifestações. É comum que a pessoa afectada sofra desde o início dos sintomas próprios da rinite que originou o desenvolvimento dos tumores. As manifestações provocadas pelos próprios pólipos dependem do seu número, tamanho e localização. Enquanto são pequenos, é provável que não provoquem qualquer incómodo, sendo diagnosticados quando o médico examina as fossas nasais devido a uma visita por causa de uma rinite ou sinusite. Os problemas surgem quando estes crescem em demasia e provocam uma grande obstrução nasal ou quando, mesmo sem serem demasiado grandes, bloqueiam o local onde um determinado seio perinasal desagua, o que favorece o aparecimento de uma sinusite com os seus sinais e sintomas característicos.

Diagnóstico e tratamento. 0 médico pode observar os pólipos ao examinar as fossas nasais como volumes de cor rosa ou cinzenta. Em primeiro lugar, deve-se determinar a sua causa - por exemplo, uma rinite alérgica ou o abuso de descongestionantes nasais -

para se iniciar o seu tratamento e com isso impedir o seu crescimento. Caso as medidas adoptadas não sejam eficazes, resta apenas uma solução: a extracção cirúrgica dos pólipos. Trata-se de uma intervenção simples, que se costuma efectuar sob anestesia local e não costuma provocar complicações.

Contudo, caso o motivo que originou a formação dos pólipos persista, assiste-se frequentemente ao aparecimento de outros.

Informações adicionais

Descongestionantes nasais e pólipos

Topo

 A utilização repetida de gotas e de nebulizadores vasoconstritores para aliviar a congestão nasal pode ter como resultado o desenvolvimento de pólipos. Como a congestão provocada por uma dilatação excessiva dos vasos sanguíneos da mucosa nasal, estes medicamentos são, eficazes para aliviar a dor. No entanto, o seu efeito tem uma duração limitada - logo que termine, produz-se normalmente uma nova vasodilatação e a congestão nasal reaparece. Caso se volte a utilizar o produto, o ciclo repete-se e, se não se parar com a sua administração, pode-se desencadear um ciclo vicioso que torna a pessoa dependente das gotas ou do nebulizador para respirar melhor. Contundo, é possível que simultaneamente surja uma inflamação crónica da mucosa nasal, bem como pólipos nasais. Uma complicação que obriga a cuidados com a utilização dos descongestionantes nasais.



Para saber mais consulte o seu Otorrinolaringologista
Este artigo foi útil?
Artigos relacionados
Procurar Médicos
Precisa de ajuda?
Porque perguntamos?
OTORRINOLARINGOLOGISTASVer todos
Dor lombar e ciática Aparelho locomotor/exercício físico
Dor cervical Aparelho locomotor/exercício físico
Artrose Aparelho locomotor/exercício físico
Nódulos e pólipos das cordas vocais Aparelho respiratório/glândulas endócrinas
Lesões dos meniscos Aparelho locomotor/exercício físico
Tumores benignos do ovário Aparelho reprodutor/sexualidade