Nariz e seios perinasais - anatomia

0 nariz, evidente relevo do rosto humano e de diferente aspecto de pessoa para pessoa, representa a via natural
de entrada do ar para os pulmões.

Nariz

Topo Situado no centro da cara, o nariz constitui uma protuberância que nasce entre os olhos e termina no lábio superior, por cima da boca. Exteriormente, tem a forma de uma pirâmide de base triangular, com dimensões e aspecto muito variáveis, sendo muito maior do que aparenta, pois no seu interior existem duas amplas cavidades, as fossas nasais, por onde circula o ar em direcção aos pulmões.Pirâmide nasal. É a porção visível e nela é possível distinguir várias partes: o dorso, que tem origem entre as sobrancelhas e se estende até a ponta do nariz, podendo ser recto, mergulhante ou proeminente; as faces laterais ou asas nasais, revestidas por uma pele grossa rica em glândulas sebáceas; e a base, de forma triangular, onde se abrem os orifícios exteriores das fossas nasais.A armação da pirâmide nasal é composta por um resistente tecido ósseo na parte superior e por um flexível tecido cartilaginoso nos lados e na parte inferior. A raiz é formada pelos ossos nasais (ou próprios do nariz), unidos em cima ao osso frontal e nos lados ao osso maxilar superior. Por seu lado, as faces laterais e o extremo inferior estão constituídos por cartilagens: um par de cartilagens nasais superiores, de forma triangular, e um par de cartilagens nasais inferiores ou asas, que dão forma a ponta do nariz.Fossas nasais. São duas amplas cavidades que comunicam com o exterior pelos orifícios nasais, estando situadas sobre uma base constituída pelo osso maxilar e pelos ossos palatinos, que as separam da cavidade bucal, comunicando na sua parte posterior com a faringe através de orifícios denominados coanos.Ambas as fossas nasais estão separadas entre si por uma parede muito especial, o septo nasal, igualmente composto por cartilagens e ossos: a parte anterior corresponde a uma cartilagem denominada quadrangular ou septal, enquanto que a parte posterior é formada pela lâmina perpendicular ao osso etmóide e pelo osso vómer.A parte superior de cada uma das fossas nasais é constituída pela face interior do osso próprio do nariz e pelos ossos frontal, etmóide e esfenóide, que a separam da cavidade craniana.A parede exterior, mais complexa, formada pelo osso maxilar superior, o osso etmóide e determinadas protuberâncias ósseas específicas, denominadas cornetos, com a forma de uma lâmina enrolada em espiral. Existem três cornetos - o superior, o médio e o inferior, entre os quais estão constituídos canais, os meatos, onde desaguam os seios perinasais.Todo o interior das fossas nasais encontra-se revestido por uma mucosa muito especial, denominada pituitária, a qual é vascularizada e composta por inúmeras glândulas especializadas na produção de muco e de células constituídas por reduzidos altos vibráteis. Existem ainda dois sectores especiais, um na parte superior e outro na parte anterior. No tecto das fossas nasais, existe um sector com inúmeros receptores nervosos sensíveis aos odores, a denominada placa olfactiva, que constitui um verdadeiro órgão do olfacto. Por sua vez, a entrada das cavidades, nos denominados vestíbulos nasais, encontra-se revestida na sua porção inferior por epiderme, sendo igualmente composta por característicos pêlos visíveis a partir do exterior, denominados vibrissas.

Seios perinasais

Topo

Os seios perinasais são cavidades cheias de ar situadas no interior dos ossos circundantes ao nariz, que estão em comunicação directa com as fossas nasais, desaguando nos meatos situados entre os vários cornetos. Estes espaços ocos são revestidos por uma mucosa semelhante a das fossas nasais. Existem quatro seios perinasais em cada lado da cara:•    Os seios frontais situam-se no interior do osso com o mesmo nome, por cima das sobrancelhas: a face inferior destes seios corresponde ao tecto das órbitas oculares.•    Os seios esfenoidais estão inseridos no esfenóide, o osso que forma a parte central da base do crânio.•    Os seios etmoidais estão formados através de uma série de pequenas cavidades, situadas na textura de cada um dos ossos etmóides, entre as fossas nasais e as órbitas oculares.•    Os seios maxilares, os de maior tamanho, encontram-se no interior de cada osso maxilar superior. Estão situados por trás da face. A parede superior pertence a parte inferior das órbitas oculares e a inferior está em contacto com a arcada dentária superior. Ambas comunicam com a fossa nasal correspondente através dos meatos médio e inferior.

Informações adicionais

Um filtro natural

Topo

A principal função do nariz consiste em preparar o ar previamente inspirado ao longo da sua passagem pelas vias aéreas ate aos pulmões.

Por um lado, o ar proveniente do exterior aquece ao circular pelas fossas nasais, graças a grande vascularização da sua mucosa, podendo igualmente humidificar-se, devido ao conteúdo aquoso do muco nasal. Por outro lado, o ar filtrado, ou seja, as partículas maiores são obstruídas pelos pêlos presentes em redor dos orifícios nasais, enquanto que a maioria das mais pequenas ficam presas no muco, sendo depois arrastadas para a faringe pelo movimento de varrimento que os cílios das células da mucosa efectuam.

O olfacto

Topo

No interior do nariz, nomeadamente no tecto das fossas nasais, existem inúmeras células especializadas na detecção das substâncias oleosas que penetram com o ar inspirado. Cada uma destas células conta no seu extremo com reduzidos cílios que reagem ao contacto com as ditas substâncias, possuindo no outro extremo um fino filete que atravessa o osso etmóide, estimulando uma célula nervosa, cuja prolongação se estende pelo nervo olfactivo até ao cérebro, onde a sensação se torna consciente.

Para saber mais consulte o seu Otorrinolaringologista
Este artigo foi útil?
Artigos relacionados
Procurar Médicos
Precisa de ajuda?
Porque perguntamos?
OTORRINOLARINGOLOGISTASVer todos
Dor lombar e ciática Aparelho locomotor/exercício físico
Dor cervical Aparelho locomotor/exercício físico
Artrose Aparelho locomotor/exercício físico
Nódulos e pólipos das cordas vocais Aparelho respiratório/glândulas endócrinas
Lesões dos meniscos Aparelho locomotor/exercício físico
Tumores benignos do ovário Aparelho reprodutor/sexualidade