Órgãos produtores de sangue

As células sanguíneas são fundamentalmente produzidas na medula óssea, embora algumas sejam provenientes do baço e dos gânglios linfáticos, passando após a sua formação nestes órgãos para a corrente circulatória, de modo a cumprirem as suas funções.

Medula óssea

Topo

A medula óssea não é um órgão no sentido estrito da palavra, mas um tipo de tecido conjuntivo especializado na produção dos diversos elementos celulares do sangue, tanto dos glóbulos vermelhos como da maioria dos glóbulos brancos e da totalidade das plaquetas. Este tecido encontra-se no interior dos ossos, num espaço oco denominado cavidade medular, e nas trabéculas do tecido ósseo esponjoso existentes por baixo da camada exterior do tecido ósseo compacto.

Distinguem-se dois tipos de medula óssea, devido ao seu diferente grau de actividade e aspecto: a medula óssea vermelha, encarregue de produzir os elementos celulares do sangue e a medula óssea amarela, que é inactiva e muito rica em tecido gordo. Na verdade, a proporção e a localização de ambos os tipos de medula óssea variam segundo a idade, já que no recém-nascido todos os ossos do esqueleto contêm medula óssea vermelha e, com a idade, sobretudo a partir da adolescência, boa parte da medula óssea vermelha de inúmeros ossos torna-se inactiva e é progressivamente substituída por medula óssea amarela. No indivíduo adulto, a medula óssea vermelha apenas permanece activa principalmente nas costelas, no esterno, nas vértebras, nos ossos do crânio, na pélvis e nas partes distais dos ossos longos (fémur, úmero).

Baço

Topo

O baço é um órgão de consistência mole e forma oval, com cerca de 12 cm de comprimento, aproximadamente 8 cm de largura e 4 cm de espessura e com 200 g de peso, embora possa aumentar significativamente, com algumas doenças. Situa-se na parte superior esquerda do abdómen, por baixo do diafragma, e é protegido pelas últimas costelas, cujo limite só é ultrapassado quando o seu tamanho aumenta devido a uma doença.

O órgão está rodeado por uma cápsula fibroelástica, da qual partem para o interior uma série de septos que dividem o baço em vários lóbulos. É pela parte central do órgão, no denominado hilo esplénico, que a artéria esplénica penetra. É através desta que chega ao baço uma grande quantidade de sangue, o qual se reparte por inúmeras arteríolas, até alcançar pequenas cavidades, passando para uma série de vénulas que se unem para formar a veia esplénica, que sai pelo hilo e desagua o seu conteúdo na veia porta.

A rodear as arteríolas existem acumulações do tecido linfóide, os corpúsculos de Malpighi, que constituem a denominada polpa branca. Em volta desta, encontra-se a polpa vermelha, composta por lagos sanguíneos, denominados seios venosos, e por trabéculas de tecido reticular, denominadas cordões de Billroth.

Ao longo da vida intra-uterina, o baço fabrica todo o tipo de células sanguíneas, mas posteriormente apenas mantém a capacidade residual de produzir alguns glóbulos brancos (monócitos e linfócitos). A sua principal função é participar na destruição dos glóbulos vermelhos envelhecidos, mas também serve como reservatório para uma certa quantidade de sangue que deve ser libertada para a corrente circulatória em caso de necessidade e participa activamente na defesa orgânica como parte do sistema imunitário.

Gânglios linfáticos

Topo

São pequenas formações com um aspecto semelhante a um rim, com um diâmetro que em condições normais não supera os 2 cm, compostas basicamente por tecido linfóide. Os gânglios linfáticos estão distribuídos ao longo do corpo, intervalados com o percurso dos vasos linfáticos que escoam os espaços intercelulares do organismo e transportam a linfa até ao aparelho cardiovascular. Contam com uma cápsula externa de tecido fibroso, onde no seu interior existe uma massa de tecido linfóide que alberga vários glóbulos brancos com funções defensivas. Chegam a cada gânglio inúmeros vasos linfáticos aferentes que escoam a linfa no seu interior, para que seja filtrada antes de sair, livre de eventuais microorganismos e toxinas, por um ou dois vasos linfáticos eferentes. Na espessura do gânglio estão presentes acumulações ou folículos de tecido linfóide, onde são produzidos inúmeros linfócitos, que passam imediatamente para a circulação sanguínea.

Informações adicionais

Punção da medula óssea

Topo

A punção de medula óssea é uma ...técnica utilizada para estudar a actividade deste tecido e diagnosticar as suas doenças. Trata-se de uma operação simples de realizar e, ao mesmo tempo, muito útil, porque oferece excelentes informações sobre a proporção e características dos distintos tipos de células que contém (mielograma).

Normalmente, realiza-se através da introdução de uma agulha fina num osso de fácil acesso, como o esterno (no centro do tórax) ou a crista do osso ilíaco (na anca). Após aplicação de uma anestesia local, introduz-se a agulha até chegar ao osso e atravessar a sua camada externa, de modo a alcançar a cavidade medular: então, aspira-se uma pequena porção de medula óssea com uma seringa embutida na agulha, sendo a amostra enviada para laboratório para observação através de microscópio. Por vezes, é preciso efectuar um estudo mais exaustivo, mediante a prática de uma biopsia de medula óssea, através de uma agulha mais grossa que permite obter um pequeno fragmento de osso.

Para saber mais consulte o seu Hematologista ou o seu Imuno-Hemoterapista
Este artigo foi útil?
Artigos relacionados
Procurar Médicos
Precisa de ajuda?
Porque perguntamos?
HEMATOLOGISTAS
Dor lombar e ciática Aparelho locomotor/exercício físico
Dor cervical Aparelho locomotor/exercício físico
Artrose Aparelho locomotor/exercício físico
Nódulos e pólipos das cordas vocais Aparelho respiratório/glândulas endócrinas
Lesões dos meniscos Aparelho locomotor/exercício físico
Tumores benignos do ovário Aparelho reprodutor/sexualidade