Orquite e epididimite

A orquite e epididimite correspondem à inflamação do testículo e epidídimo, respectivamente, problemas normalmenteprovocados por uma infecção.

Causas

Topo

A inflamação dos testículos e dos epidídimos, situados no escroto, costuma ser provocada por uma infecção, normalmente originada por vários tipos de bactérias que chegam a estes órgãos, através do canal deferente, provenientes da próstata, bexiga ou uretra, o que justifica o facto de as causas mais frequentes destes problemas serem as infecções dos órgãos referidos: prostatite, cistite e uretrite. De qualquer forma, como a orquite e a epididimite constituem, por vezes, complicações de infecções generalizadas, tais como a parotidite ou a tuberculose, nestes casos, os micróbios chegam aos testículos e epidídimos através do sangue ou da linfa.

Independentemente da sua causa, o problema pode ser unilateral ou bilateral e apenas afectar o testículo (orquite), o epidídimo (epididimite) ou, como acontece em alguns casos, ambos os órgãos em simultâneo (orquiepididimite).

Manifestações

Topo

Estes problemas costumam surgir de forma mais ou menos brusca e manifestam-se através de febre, mal-estar geral e, sobretudo, por uma significativa tumefacção do escroto, que fica vermelho e quente. Um outro sintoma muito comum é o aparecimento de dor na zona do escroto, que costuma ser muito intensa, embora possa irradiar para a virilha e abdómen. Contudo, caso os sinais e sintomas sejam muito intensos, podem ser acompanhados por náuseas e vómitos, sobretudo entre os bebés.

Noutros casos, em particular quando são provocados por uretrites ou prostatites crónicas, a inflamação dos testículos e dos epidídimos evidencia-se através de episódios repetidos, com sinais e sintomas mais ligeiros.

A evolução da orquite e da epididimite é muito variável. Quando surgem de forma aguda, costumam desaparecer rapidamente, independentemente de ser de forma espontânea ou através da realização do tratamento oportuno. Por outro lado, quando se manifestam através de episódios repetidos, há uma tendência para se tornarem crónicos e apenas desaparecem se se proceder ao tratamento da sua causa.

A orquite e a epididimite não costumam deixar sequelas. Todavia, segundo dados estatísticos, a orquite bilateral, ou seja, que afecta ambos os testículos, provoca esterilidade em aproximadamente 4 % dos casos.

Informações adicionais

Tratamento

Topo

O tratamento, que visa essencialmente o alívio dos sinais e sintomas, consiste em repouso na cama, utilização de suspensórios para manter o escroto elevado, aplicação de gelo ou compressas frias sobre a zona do escroto e administração de medicamentos para reduzir a inflamação, a febre e a dor. Para além disso, caso a infecção seja de origem bacteriana, devem ser prescritos os antibióticos adequados. Por outro lado, quando o problema é uma complicação de infecções nas vias urinárias baixas, rebeldes ao tratamento, pode-se recorrer à realização de uma intervenção cirúrgica, na qual se deve ligar o canal deferente, o qual costuma, nestes casos, constituir a via de entrada dos microorganismos.

Para saber mais consulte o seu Urologista
Este artigo foi útil?
Artigos relacionados
UROLOGISTASVer todos
Dor lombar e ciática Aparelho locomotor/exercício físico
Dor cervical Aparelho locomotor/exercício físico
Artrose Aparelho locomotor/exercício físico
Nódulos e pólipos das cordas vocais Aparelho respiratório/glândulas endócrinas
Lesões dos meniscos Aparelho locomotor/exercício físico
Tumores benignos do ovário Aparelho reprodutor/sexualidade