Perfuração do tímpano

A perfuração do tímpano corresponde à ruptura da membrana que separa o ouvido externo do ouvido médio.

Causas

Topo

A membrana timpânica que separa o ouvido externo do ouvido médio pode perder a sua integridade e romper-se por diversos motivos. A causa mais habitual é a otite média aguda, que implica uma acumulação de pus no ouvido médio - a pressão que o pus exerce sobre o tímpano tende a rompê-lo, o que permite a sua evacuação para o exterior. A otite serosa crónica também pode provocar a perfuração do tímpano, já que a membrana é arrastada para o interior e, por vezes, chega a romper-se. Outra causa comum de perfuração timpânica é a introdução de objectos pontiagudos no canal auditivo externo com a intenção de o limpar ou de extrair um corpo estranho - é muito fácil realizá-lo inadequadamente e provocar uma lesão no tímpano. Outra possibilidade é que o tímpano se rompa como consequência de um traumatismo violento na zona da orelha, geralmente um murro, ou devido a um barotraumatismo provocado por uma explosão próxima, um mergulho submarino ou uma viagem de avião. Por outro lado, por vezes, é o médico quem pratica uma incisão no tímpano como parte do tratamento de uma otite média supurada.

Manifestações e evolução

Topo

A perfuração do tímpano tem repercussões negativas na audição, porque a membrana já não vibra bem à chegada das ondas sonoras e não pode transmiti-las adequadamente à cadeia de ossículos do ouvido médio. Por isso, costuma provocar uma diminuição da audição do lado afectado que, dependendo do problema, pode ser acompanhada de dor, supuração, uma ligeira hemorragia e mesmo zumbidos e tonturas.

Em condições normais, a ruptura do tímpano cicatriza espontaneamente, desaparecendo os problemas em uma ou duas semanas, e a audição normal é recuperada no prazo de um mês. Contudo, a evolução varia de caso para caso, sobretudo em função da causa. Assim, enquanto uma ruptura de origem traumática costuma ser resolvida em pouco tempo, a perfuração do tímpano consequente de uma otite média indefinidamente. Além disso, podem existir complicações, sobretudo um problema de má audição, se a cicatrização for defeituosa e implicar uma perda de elasticidade do tímpano ou se a perfuração permitir o acesso de microorganismos ao ouvido médio, provocando uma infecção que altera a cadeia de ossículos.

Informações adicionais

Tratamento

Topo

Muitas vezes, em especial quando a perfuração do tímpano é de origem traumática, o médico não prescreve qualquer tratamento, já que se costuma esperar para observar se a ruptura cicatriza espontaneamente. Quando o problema é devido a uma otite média, o tratamento centra-se na cura da doença de base, por exemplo, com a administração de antibióticos para combater a infecção. Se a ruptura não cicatrizar espontaneamente ou se a reparação natural da ferida for defeituosa e se produzir um défice auditivo, a solução passa pela cirurgia. Geralmente, recorre-se a uma timpanoplastia, reparando o tímpano com um enxerto que lhe devolve a sua integridade. Se o problema também afectar a cadeia de ossículos do ouvido médio, a operação poderá incluir a sua reparação ou uma substituição por pequenas próteses de material plástico.

Para saber mais consulte o seu Otorrinolaringologista
Este artigo foi útil?
Artigos relacionados
Procurar Médicos
Precisa de ajuda?
Porque perguntamos?
OTORRINOLARINGOLOGISTASVer todos
Dor lombar e ciática Aparelho locomotor/exercício físico
Dor cervical Aparelho locomotor/exercício físico
Artrose Aparelho locomotor/exercício físico
Nódulos e pólipos das cordas vocais Aparelho respiratório/glândulas endócrinas
Lesões dos meniscos Aparelho locomotor/exercício físico
Tumores benignos do ovário Aparelho reprodutor/sexualidade