Traumatismos renais

Os impactos violentos na zona lombar, como os provocados pelos acidentes de viação e pelas quedas de grandes alturas, podem originar graves lesões nos rins.

Causas

Topo

Um traumatismo renal pode ser provocado por todo o tipo de impacto sobre a zona lombar com suficiente intensidade para danificar directa ou indirectamente os rins.

Pode-se tratar de uma contusão directa, ou seja, do impacto de um objecto contundente sobre a zona lombar, o que provoca a descida das costelas e a consequente compressão do rim ou a sua ruptura. Embora as causas mais frequentes destes impactos sejam os acidentes de viação, as lesões renais também podem ser originadas por golpes ou choques com qualquer tipo de objecto pontiagudo.

Um outro mecanismo capaz de provocar uma lesão renal é o contra-golpe, ou seja, um brusco movimento de aceleração e desaceleração que desloca o rim de um lado para o outro. As causas mais frequentes deste tipo de traumatismos são as quedas em altura, por exemplo, desde o topo de uma escada ou de uma varanda. Nestes casos, a brusca interrupção da queda, quando o corpo atinge o chão, provoca uma repentina tracção dos grandes vasos sanguíneos que chegam e saem do rim, podendo verificar-se uma ruptura e/ou desprendimento.

Outro mecanismo de produção de traumatismos renais corresponde a uma ferida profunda na zona lombar, provocada por objecto cortante ou pontiagudo que alcance o tecido renal. Como é óbvio, as causas mais frequentes destas lesões são, as feridas provocadas por armas de fogo ou armas brancas (facas, navalhas, etc.).

Tipos

Topo

De acordo com a natureza e intensidade do impacto, e também em função da gravidade das lesões provocadas, e possível distinguir vários tipos de traumatismos renais:

Nos traumatismos renais menores, como o impacto não e muito violento, o funcionamento dos rins não e prejudicado. O tipo mais frequente de traumatismo renal menor a contusão renal, em que apesar da ruptura de alguns pequenos vasos sanguíneos do Órgão, a sua cápsula se mantém integra, pelo que a formação do hematoma ou a acumulação de sangue se realiza por baixo da cápsula renal. Por outro lado, as pequenas fissuras ou lacerações superficiais da cápsula renal são igualmente consideradas traumatismos renais menores.

Nos traumatismos renais moderados, embora o funcionamento dos rins sofra algumas alterações, estas podem ser superadas caso se proceda ao seu oportuno tratamento. O tipo de lesão mais característico dos traumatismos renais moderados e a ruptura da cápsula renal. Neste caso, o sangue proveniente dos tecidos afectados acumula-se no exterior do rim, proporcionando a formação de um hematoma perirrenal. Uma outra lesão habitual nos traumatismos renais moderados e a laceração cortical profunda, ou seja, a ruptura do córtex renal. Neste caso, a ruptura da parede dos cálices renais faz com que a urina seja vertida para os tecidos perirrenais.

Por fim, os traumatismos renais graves provocam uma insuficiência renal aguda grave, que pode ser irreversível caso não se proceda ao seu imediato tratamento. O tipo de lesão mais frequente nos traumatismos renais graves e o denominado rim fragmentado, em que o órgão fica dividido em varias partes. Um outro tipo de lesão grave e a ruptura do pedículo renal, ou seja, a desunião dos vasos sanguíneos que irrigam o órgão e contribuem para a sua fixação.

Manifestações

Topo

As manifestações podem ser muito variadas e nem sempre reflectem a gravidade das lesões, pelo menos de inicio.

O sintoma mais frequente e a dor lombar, que se localiza na zona inferior e lateral das costas. A intensidade e a duração delta dor são muito variáveis. Nos traumatismos ligeiros, a dor costuma ser pouco intensa e normalmente desaparece de forma espontânea ao fim de alguns dias. Pelo contrário, nos traumatismos moderados ou graves, costuma ser muito intensa. Para além disso, a produção de uma hemorragia em torno dos rins, provoca uma flexão involuntária e característica das pernas pelo próprio paciente, de modo a atenuar a mesma.

Uma outra manifestação frequente nos traumatismos renais e a hematuria, ou seja, a perda de sangue através da urina. Por vezes, a hemorragia detectada pela coloração avermelhada da urina; noutros casos, e evidenciada pela presença de coágulos de sangue, normalmente grandes, por serem formados no interior dos ureteres. A hematirria pode manifestar-se imediatamente ou apenas um ou dois dias após o impacto violento causador do traumatismo, o que não implica que as lesões sejam menos graves. De facto, a obstrução por um coagulo e a consequente obstrução das vias urinarias podem originar uma cólica renal e uma retenção urinaria por falta de micções.

Por último, nos casos mais graves, a brusca perda de sangue provocada por um traumatismo renal pode dar origem a um choque cardiovascular, que se manifesta pela extrema palidez do paciente e pela evidente aceleração do pulso. Para além disso, caso a hemorragia interna seja muito grave, a própria vida do paciente pode estar em perigo.

Informações adicionais

Diagnóstico e tratamento

Topo

Os médicos costumam diagnosticar a existência de um traumatismo renal quando existem antecedentes evidentes de um impacto na região lombar ou quando detectam uma ferida aberta nessa zona. De qualquer forma, o mais importante é proceder a uma avaliação dos danos e das consequências do traumatismo, um ponto fundamental para se definir a adequada actuação terapêutica. Para isso, devem ser realizados exames radiológicos e ecografias e, em alguns casos, uma arteriografia ou uma tomografia axial computorizada. Por vezes, o paciente deve ser hospitalizado até que se obtenham os resultados dos exames, porque antes destes nem sempre se pode determinar com precisão a gravidade da situação.

Os traumatismos renais ligeiros não necessitam de Um tratamento específico, para além da administração de analgésicos, de forma a aliviar a dor, e de repouso para favorecer a rápida cura das lesões. Nos traumatismos moderados e graves, tendo em conta que é necessário vigiar o funcionamento dos rins e solucionar qualquer problema imediato, costuma-se internar o paciente para vigilância. Em alguns casos, especialmente nos traumatismos graves, pode ser necessário recorrer a vários tipos de técnicas cirúrgicas para reparar os tecidos danificados e/ou extrair hematomas ou coágulos de sangue formados no interior ou exterior dos rins. Por vezes, a cirurgia constitui uma situação de urgência da qual pode depender o futuro funcionamento dos rins e a vida do paciente.

Para saber mais consulte o seu Nefrologista ou o seu Urologista
Este artigo foi útil?
Artigos relacionados
NEFROLOGISTASVer todos
UROLOGISTASVer todos
Dor lombar e ciática Aparelho locomotor/exercício físico
Dor cervical Aparelho locomotor/exercício físico
Artrose Aparelho locomotor/exercício físico
Nódulos e pólipos das cordas vocais Aparelho respiratório/glândulas endócrinas
Lesões dos meniscos Aparelho locomotor/exercício físico
Tumores benignos do ovário Aparelho reprodutor/sexualidade